Friday, February 12, 2016

Entrevista no jornal i sobre a Afrodite e Fernando Ribeiro de Mello

Por alturas do lançamento de Editor Contra: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite saiu no jornal i uma entrevista ao autor, Pedro Piedade Marques, a propósito do lançamento do livro. Aqui fica essa entrevista de 4 páginas (Imagens do blogue O Melhor Amigo). O livro pode ser comprado no site Montag.




Tuesday, December 15, 2015

Já está apresentado e à venda

Já está apresentado o livro do Pedro Piedade Marques sobre  Fernando Ribeiro de Mello e a sua Afrodite, com o título Editor Contra.

Na apresentação, na quinta-feira, dia 10 de dezembro, o autor contou com a presença de João Pedro George na sala de teatro da Guilherme Cossoul, em Lisboa.

Quando passam 50 anos de início de actividade editorial da Afrodite, finalmente está à o primeiro livro dedicado ao lendário “editor maldito” por excelência na última década do Estado Novo, Fernando Ribeiro de Mello, e à sua “pseudo-editora”, a Afrodite. Dele escreveu a censura, em 1966, que personificava a mais “insólita ofensiva de corrupção” a que o regime assistira em quarenta anos de existência. Pode ser adquirido aqui.

Também pode ser adquirido em algumas livrarias, como a Letra Livre ou a Sr Teste e Ennui.

Friday, December 04, 2015

Apresentação a 10 de dezembro


Tuesday, December 01, 2015

Já está à venda

O primeiro livro dedicado ao lendário editor da Afrodite, Fernando Ribeiro de Mello, escrito por Pedro Piedade Marques já está à venda.

VENDA no site Montag: http://www.montag.com.pt/editorcontra.html (por Encomenda ou pagamento directo por Paypal).

360 páginas
180 x 150 mm
PVP: 25,75 Euros + portes
Promoção de lançamento em compra no site Montag: oferta de um 1 exemplar de "A ÚLTIMA SESSÃO"*
(* limitado ao stock existente)

O livro estará também à venda em algumas (mas boas) livrarias a partir do dia 1 de Dezembro.


"EDITOR CONTRA: FERNANDO RIBEIRO DE MELLO E A AFRODITE"

Fernando Ribeiro de Mello (1941-1992) foi, com a sua Afrodite, o editor “maldito” por excelência na última década do Estado Novo, combatendo a perseguição policial e a censura com um arrojo contínuo que lhe valeu proibições e condenações. Esteve contra, e esteve-o com uma coragem ímpar. Mas quando atravessou o espelho para o “outro lado”, para um Portugal livre de censura, descobriu que manter-se “contra” nas águas revoltas dos anos pós-revolucionários era um objectivo demasiado complexo.
Do salão em casa de Natália Correia aos cafés do momento e ao inevitável Botequim, das sessões "escandalosas" de poesia à mais famosa banheira da "primavera marcelista" e ao lugar de jurado mais odiado do mais bizarro concurso da história da RTP, da fortuna feita com livros notáveis, grande parte deles proibidos e vendidos a preços proibitivos, à falência e ao esquecimento.
Contém textos inéditos e depoimentos de Vitor Silva Tavares, Aníbal Fernandes, Eduardo Batarda e Nuno Amorim, três cartas inéditas de Luiz Pacheco e o texto do folheto polemista "As Avelãs do Cesariny". Rigorosamente documentado e profusamente ilustrado.


“A sua vertiginosa ascensão-e-queda é bem um marco, a um tempo cultural e sociológico, não apenas da actividade editorial, então de certo modo estag­nada, mas do próprio viver quotidiano na cidade capital ou, por extensão, na Feira Cabisbaixa que era o país.”
VITOR SILVA TAVARES 


“Lançou durante anos no mercado livros que surpreendiam pela diferença visual, por um gosto que fugia ao pressentido no mercado português.”
ANÍBAL FERNANDES


Leia o excerto em pré-publicação no Observador: http://observador.pt/espec…/sade-salazar-e-o-dali-de-lisboa/

Monday, November 09, 2015

Quase a sair...

Está quase a sair o livro de Pedro Piedade Marques sobre Fernando Ribeiro de Mello e as Edições Afrodite. Aqui ficam algumas imagens da publicação. Promete! 


















Tuesday, September 22, 2015

Vítor Silva Tavares sobre a Afrodite e FRM

Uma das últimas intervenções públicas de Vítor Silva Tavares,  numa sessão a 21 de Maio de 2015, na Livraria Sr. Teste da Guilherme Cossoul (Lisboa), sobre os 50 anos da Editora Afrodite, onde muito se falou de Fernando Ribeiro de Mello. Uma sessão organizada por Pedro Piedade Marques.

Monday, September 21, 2015

Vitor Silva Tavares (1937 - 2015)

Faleceu hoje Vítor Silva Tavares, um "editor radical", um colaborador das edições Afrodite, um amigo de Fernando Ribeiro de Mello. 

Faleceu esta manhã, em Lisboa, no Hospital de Santa Maria, onde estava internado devido a uma infecção cardíaca.

"Em 2014, quando o PÚBLICO falou com ele a propósito da edição da obra escrita de César Monteiro, Vitor Silva Tavares confessou que a morte do cineasta, em 2003, deixara um vazio que não tinha sido preenchido. Silva Tavares referia-se a um vazio pessoal, naturalmente, mas também estava implícito um vazio colectivo. O mesmo acontece agora, com a morte de Silva Tavares, um dos mais originais e radicais editores portugueses. É toda uma geração, de resistência cultural e política, que tem os dias contados.

"Pedro Piedade Marques conhecia Silva Tavares apenas há três anos, mas é ao editor da &etc e à sua “imensa generosidade” que deve a monografia que vai lançar até ao final do ano, Editor Contra: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite, um volume sobre “outro dos nomes esquecidos” do mundo dos livros em Portugal.

“Não tinha um arquivo organizado, mas tinha uma memória fantástica. E a essa memória devo muitas das histórias que conto sobre o Ribeiro de Mello, sobre aquela Lisboa dos anos 1950”, diz o editor deste volume que conta com dois textos inéditos de Silva Tavares.

Piedade Marques tencionava dedicar um outro livro aos três anos e meio em que Silva Tavares foi o responsável editorial pela Ulisseia, na década de 60: “Ele viveu aventuras incríveis com o Luiz Pacheco e com os surrealistas, editou muita coisa proibida. Teve, por exemplo, a coragem de publicar França, a emigração dolorosa, do Nuno Rocha, quando a emigração era um tema completamente tabu, em que ninguém tocava.”

Aqui fica o post que fizemos neste blog, em 2007, sobre o editor da &etc e colaborador da Afrodite.


Excertos e foto do jornal Publico 

Texto de Vasco Rosa, no Observador, sobre Vitor Silva Tavares